Processo de tomada de decisão da emissora: 5 erros comuns que você deve evitar

O processo de tomada de decisão é um fator importantíssimo para os rumos das empresas de qualquer segmento. Quando falamos de uma emissora, isso não muda: quem tem o poder de bater o martelo deve garantir que as melhores escolhas estão sendo feitas.

É necessário se preocupar com alguns fatores na hora de tomar decisões, a fim de evitar problemas, descuidos e complicações desnecessárias. Pensando nisso, trouxemos 5 erros para você jamais cometer nesse sentido. Confira a seguir quais são eles!

1. Desconhecer a raiz do problema

Muitos momentos de tomada de decisão estão relacionados a gargalos operacionais e problemas que surgem no cotidiano da emissora. Sendo assim, é fundamental garantir que, ao tomar a decisão, você está lidando diretamente com a causa daquela situação. É claro que ações de emergência podem ser adotadas, mas sempre pensando na resolução final.

Sendo assim, a dica aqui é manter protocolos estruturados para problemas previsíveis. Em suma, faça um mapeamento de práticas que devem ser adotadas em cada cenário previsto. Isso simplifica o processo de tomada de decisão. No caso de reais imprevistos, sempre foque em encontrar a raiz e aplicar esforços no que é definitivo, combinado?

2. Deixar de coletar informações

Esse é um erro que você não pode mesmo cometer. Em casos de emergência, no qual uma decisão rápida deve ser tomada — mesmo que temporária —, é bastante comum que a precipitação cause estragos. Sendo assim, não deixe de buscar por todas as informações importantes (todas mesmo), consultando a sua equipe e especialistas em cada área.

Nesse sentido, contar com um bom sistema de feedback é importante. Você precisa manter a comunicação em dia, de forma que nenhum procedimento passe batido. O controle das operações, somado à comunicação, é a resposta. Faça reuniões e, se necessário, reveja os processos etc.

3. Não avaliar riscos envolvidos

Quais são os impactos da decisão que você pretende tomar? Quem são os envolvidos? Quais são os pontos positivos e negativos? Fazer gestão de projetos, equipes e/ou empresas — principalmente de alta gestão — é decidir correr riscos. Por isso, você não pode simplesmente traçar um direcionamento sem saber exatamente quais são os efeitos.

4. Ignorar decisões passadas

Neste tópico, estamos falando sobre históricos. Sempre que você puder resgatar memórias, resultados e relatórios de ações passadas em problemas e cenários parecidos, faça isso. Mesmo que tudo esteja mudando — principalmente por conta das tecnologias —, você pode utilizar o que aconteceu como parâmetro: como era antes, o que foi feito e como é agora?

Esse aspecto também pode ter a ver com a sua concorrência. Não deixe de observar o público-alvo e, então, ter em mente quais foram as práticas adotadas e quais frutos foram obtidos. Se você encontra pontos de melhoria e ajuste, pode superar desafios e alcançar a excelência.

5. Não buscar ajuda especializada

Pedir ajuda não é nenhum pecado, ok? Não importa o quão alto seja o seu cargo, pedir segundas opiniões é importante. Mesmo que você seja um líder centralizador, ou que esse seja o modelo da empresa, é essencial ouvir quem entende do assunto, seja internamente com a sua equipe, seja buscando por uma parceria que possa ser estratégica.

O processo de tomada de decisão deve contar com os passos que trouxemos até aqui para evitar erros que podem causar perdas e prejuízos. É importante ter a eficiência em mente, ou seja, alcançar a eficácia utilizando os recursos da melhor forma. Para isso, conte com especialistas para orientar você e traçar a jornada lado a lado, agregando valor.

Nós da Teletronix somos experts em equipamentos de radiodifusão e estamos dispostos à troca de experiências e parcerias de sucesso: entre em contato conosco e saiba mais!

Comentários

Posted in:
Sobre o autor

Bruno Faria

Publicitário por formação, atua no setor de Marketing da Teletronix, uma empresa desde 1996 no mercado de radiodifusão, produzindo equipamentos para emissoras de rádio e TV.