Qual a diferença entre narrador e locutor no jornalismo?

O trabalho em uma rádio envolve diferentes atividades que, juntas, possibilitam um conteúdo de qualidade ir ao ar. Entre os diferentes profissionais atuantes, o narrador e o locutor são personagens de destaque. Mas você sabe a diferença entre eles? Embora desempenhem funções parecidas, cada um apresenta um tipo de atuação, estilo e, até mesmo, linguagem.

Quer saber mais sobre o assunto? Entenda de uma vez por todas qual a diferença entre narrador e locutor no jornalismo e saiba em quais profissionais investir!

Os conceitos no jornalismo

Dentro do jornalismo, o narrador é o profissional responsável por narrar determinado fato. Segundo a definição literária, todas as histórias que lemos, vemos ou ouvimos são conduzidas por um narrador, que pode ser personagem, observador ou onisciente.

Já o locutor é o dono da voz por trás da maioria dos conteúdos que consumimos nas rádios. Ele é o responsável, por exemplo, pela apresentação e condução dos programas que compõem a grade de programação de uma determinada emissora.

As diferenças entre narrador e locutor

Como você pode perceber até agora, os conceitos de narração e locução são bem distintos. Mas afinal, qual é a diferença entre esses profissionais? Enquanto o narrador é uma espécie de contador de histórias, o locutor trabalha com todo o suporte sonoro de uma programação de rádio.

Explicando de maneira clara, vamos usar o exemplo de uma transmissão de futebol em uma emissora de rádio. O locutor é aquele responsável por abrir e conduzir o programa, fazer comentários pontuais sobre o jogo e, no intervalo, realizar os anúncios. O narrador se limita a narrar cada minuto e movimento vivido durante o jogo.

Outro exemplo são os programas que falam de histórias de amor. Enquanto o locutor é o profissional que chama a próxima música e avisa quando vão começar as propagandas, o narrador é o responsável por apresentar, detalhadamente, os relatos enviados pelos ouvintes.

As atividades desempenhadas nas rádios

Em uma programação de rádio, um narrador pode desempenhar diferentes funções. Entre elas, podemos destacar: a narração de eventos esportivos, como futebol; narração de histórias de ficção, como radionovelas ou podcasts; e, até mesmo, de fatos do cotidiano, como decisões políticas ou eventos importantes.

Indo por esse mesmo caminho diversificado, um profissional que trabalhe com locução poderá atuar como voz para a apresentação de programas, peças audiovisuais, propagandas, anúncios de patrocinadores, comentários de notícias e como entrevistador dos convidados.

A formação necessária

Diferentemente do que a maioria das pessoas acredita, para desempenhar qualquer uma dessas funções, não basta ter uma voz bonita. Um bom profissional da rádio precisa ter uma boa dicção, respiração e passar credibilidade para os seus ouvintes. Além disso, o mercado exige uma certificação própria da área, o DRT.

Para isso, é possível fazer cursos específicos para produção em rádio e TV, porém, é muito comum que esses profissionais saiam das faculdades de Comunicação Social, com foco em Jornalismo ou Publicidade em Propaganda, que são graduações que também oferecem todo o suporte e embasamento teórico de que eles precisam.

Além de formar bons profissionais, o ambiente acadêmico proporciona outros benefícios, como o contato direto com especialistas na área e oportunidades de estágio em rádios universitárias e, até, emissoras consagradas pelo público.

Leia também:  [EBOOK] Guia de linguagem para jornalistas: Como evitar gafes na comunicação?

Os segredos de um bom profissional

Quer descobrir como contratar o melhor profissional em locução e narração para sua rádio? A seguir, separamos quais são as práticas e características de um bom narrador e locutor de rádio. Conheça quais são elas!

Especialização

A especialização em locução ou narração é o primeiro ponto de destaque de um profissional de sucesso no ramo. Sendo especialista na área e tendo um estilo próprio, que pode ser voltado para o humor, romântico ou esportivo, por exemplo, é indispensável para atingir o máximo em qualidade nos serviços realizados.

Preparação

Um bom profissional deve conhecer a programação da rádio e estar preparado para o que vai apresentar. No caso do locutor, ele precisa saber a sequência das músicas, pronunciar corretamente o nome das bandas e as propagandas que serão apresentadas. Para o narrador, conhecer as histórias a serem contadas previamente e treinar a entonação que será utilizada é fundamental para agradar a audiência.

Capacidade de improvisação

Embora a preparação seja um fator de destaque, saber como improvisar é outra habilidade importante para os profissionais da rádio. Afinal, imprevistos sempre podem acontecer, especialmente em transmissões ao vivo.

No caso de interrupções ou crises de tosse, por exemplo, é preciso lidar com a situação com naturalidade, profissionalismo e humor, o que exige conhecimento de como aplicar essas técnicas.

Conhecimento do público

Saber com quem está falando é uma das principais características de um bom profissional da rádio. Com essa habilidade, ele consegue adequar a linguagem, escolher o vocabulário mais adequado e transmitir as notícias da melhor forma para, assim, conquistar os ouvintes.

Boa dicção

A pronúncia adequada de todas as palavras é essencial para o bom entendimento do ouvinte, o que exige treino e dedicação do profissional. Por isso, o locutor e narrador devem conhecer o significado das expressões utilizadas, a pontuação correta das frases e pronunciar todas as letras da pauta.

Cuidados com a voz

Por ser o seu instrumento de trabalho, todo locutor e narrador precisam se preocupar com a sua voz. Entre as medidas básicas estão beber muita água, fazer gargarejos e não fumar.

Além disso, exercícios próprios para as cordas vocais com o auxílio de um fonoaudiólogo são fundamentais para preservar essas estruturas.

Ausência de vícios de linguagem

Cada pessoa tem um jeito único de falar. No entanto, vícios de linguagem, como né, tipo e então, podem prejudicar a comunicação no radiojornalismo.

Ao contrário disso, os bordões, que são frases típicas utilizadas por um certo profissional, compõem as suas características únicas na carreira e fazem sucesso entre a população.

No post de hoje, você pôde perceber que os trabalhos de narrador e de locutor são bem diferentes, todavia, complementares. Sem os dois, a rádio não seria como conhecemos hoje e perderia suas características essenciais. Por isso, é muito importante investir nos profissionais certos para cada uma dessas atividades, a fim de o bom funcionamento de qualquer projeto ser garantido.

Este conteúdo foi útil para você? Então, compartilhe nas redes sociais para que todos os seus amigos entendam mais sobre as diferenças e características do narrador e do locutor. Até a próxima!

Comentários

Posted in:
Sobre o autor

Bruno Faria

Publicitário por formação, atua no setor de Marketing da Teletronix, uma empresa desde 1996 no mercado de radiodifusão, produzindo equipamentos para emissoras de rádio e TV.

Deixe uma resposta